Central de Relacionamento: 11 3666-6055

Limites ao Argumento Econômico na Produção de Normas Judiciárias pelo STF em Controle Concentrado e Repercussão Geral. 1ª Edição

sumário


A obra pretende examinar as normas judiciárias exaradas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em expedientes de controle de constitucionalidade concentrado e difuso com repercussão geral e os limites impostos ao emprego de argumentos econômicos nas decisões prolatadas em matéria tributária. Amparados pelas lições do Constructivismo Lógico- Semântico, pela análise de material bibliográfico e jurisprudencial, busca-se responder se é possível que a decisão judicial em matéria tributária tenha como fundamento argumentos extrassistêmicos, ou seja, que contenham em suas motivações fatos não-jurídicos, como é o caso do fato econômico, ainda que, em tese, o objetivo da decisão seja evitar prejuízos aos cofres das Fazendas Públicas. Ao final, pretende demonstrar que decisões proferidas pelo STF com fundamento em argumentos não pertencentes ao sistema, como aquelas que se escoram no consequencialismo de cunho econômico, devem ser combatidos em nome da manutenção da democracia, da guarda – de competência da Suprema Corte – do Diploma Fundamental brasileiro e dos direitos e garantias que protegem o contribuinte de abusos do Estado no exercício do poder de tributar, já que o fato puro não pode se sobrepor ao que é jurídico.


Estrutura – A obra (i) discute o papel das normas jurídicas e do sistema como referência para o processo de criação de leis; (ii) examina o ordenamento, a hierarquia e o sistema tributário nacional em relação à produção de normas judiciárias pelo STF; (iii) discute as fronteiras impostas à interpretação autêntica das normas pelo STF de acordo com sua jurisprudência e a aplicação de princípios constitucionais; (iv) aborda a decisão judicial fundamentada em elementos extrassistêmicos, como argumentos econômicos e políticos, e seus limites; (v) apresenta notas sobre as normas do direito brasileiro voltadas às consequências da decisão judicial, incluindo a questão da segurança jurídica e da previsibilidade das normas.

Destaque - A autora busca entender os limites da utilização de argumentos econômicos na criação de normas judiciárias pelo STF, destacando a importância de se respeitar a hierarquia normativa e a interpretação autêntica do ordenamento jurídico. O livro oferece uma análise aprofundada e crítica sobre a produção de normas pelo STF em controle concentrado e repercussão geral e seus impactos na sociedade brasileira.
Editora: Editora Noeses
Autor(a): Roberta França Porto
Edição: 1ª Edição - Ano: 2024
Número de Páginas: 226
SKU: 9788583101512

Disponível: Em estoque

Preço: R$195,00

Preço Promocional R$136,50

Descrição

Detalhes

sumário

A obra pretende examinar as normas judiciárias exaradas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em expedientes de controle de constitucionalidade concentrado e difuso com repercussão geral e os limites impostos ao emprego de argumentos econômicos nas decisões prolatadas em matéria tributária. Amparados pelas lições do Constructivismo Lógico- Semântico, pela análise de material bibliográfico e jurisprudencial, busca-se responder se é possível que a decisão judicial em matéria tributária tenha como fundamento argumentos extrassistêmicos, ou seja, que contenham em suas motivações fatos não-jurídicos, como é o caso do fato econômico, ainda que, em tese, o objetivo da decisão seja evitar prejuízos aos cofres das Fazendas Públicas. Ao final, pretende demonstrar que decisões proferidas pelo STF com fundamento em argumentos não pertencentes ao sistema, como aquelas que se escoram no consequencialismo de cunho econômico, devem ser combatidos em nome da manutenção da democracia, da guarda – de competência da Suprema Corte – do Diploma Fundamental brasileiro e dos direitos e garantias que protegem o contribuinte de abusos do Estado no exercício do poder de tributar, já que o fato puro não pode se sobrepor ao que é jurídico. Estrutura – A obra (i) discute o papel das normas jurídicas e do sistema como referência para o processo de criação de leis; (ii) examina o ordenamento, a hierarquia e o sistema tributário nacional em relação à produção de normas judiciárias pelo STF; (iii) discute as fronteiras impostas à interpretação autêntica das normas pelo STF de acordo com sua jurisprudência e a aplicação de princípios constitucionais; (iv) aborda a decisão judicial fundamentada em elementos extrassistêmicos, como argumentos econômicos e políticos, e seus limites; (v) apresenta notas sobre as normas do direito brasileiro voltadas às consequências da decisão judicial, incluindo a questão da segurança jurídica e da previsibilidade das normas. Destaque - A autora busca entender os limites da utilização de argumentos econômicos na criação de normas judiciárias pelo STF, destacando a importância de se respeitar a hierarquia normativa e a interpretação autêntica do ordenamento jurídico. O livro oferece uma análise aprofundada e crítica sobre a produção de normas pelo STF em controle concentrado e repercussão geral e seus impactos na sociedade brasileira.